43,99 €
inkl. MwSt.
Versandkostenfrei*
Versandfertig in 6-10 Tagen
payback
22 °P sammeln
  • Broschiertes Buch

A República Democrática do Congo é um país com uma enorme riqueza no seu solo e subsolo. Apesar deste potencial, continua a ser um dos países mais pobres do mundo, incapaz de assegurar o bem-estar da sua população. Para além desta triste realidade, há uma categoria de pessoas que é muito afetada pela indústria extractiva. São as mulheres e as crianças. As mulheres, que estão menos representadas neste sector, não têm voz no debate sobre a gestão dos recursos naturais. No entanto, são elas as primeiras vítimas dos problemas relacionados com a exploração dos recursos naturais na RDC. Face a esta…mehr

Produktbeschreibung
A República Democrática do Congo é um país com uma enorme riqueza no seu solo e subsolo. Apesar deste potencial, continua a ser um dos países mais pobres do mundo, incapaz de assegurar o bem-estar da sua população. Para além desta triste realidade, há uma categoria de pessoas que é muito afetada pela indústria extractiva. São as mulheres e as crianças. As mulheres, que estão menos representadas neste sector, não têm voz no debate sobre a gestão dos recursos naturais. No entanto, são elas as primeiras vítimas dos problemas relacionados com a exploração dos recursos naturais na RDC. Face a esta triste realidade, o Ministério do Género, da Família e da Criança e outros parceiros de desenvolvimento decidiram trabalhar para mudar a situação destas mulheres. O primeiro passo consiste em identificar todas as mulheres que se encontram à espreita nos locais de exploração mineira, para que se possa atuar rapidamente. Com o apoio do Banco Mundial, será criado um grupo de trabalho. A tarefa deste grupo consistirá em orientar estas mulheres e apoiá-las no seu próprio desenvolvimento.
Autorenporträt
Jolie Rebecca Tshidibi Mputu é licenciada em Ciências da Informação e da Comunicação pelo IFASIC. Começou a sua carreira na radiodifusão em 2009 como repórter e trabalha atualmente como secretária no departamento de género e direitos humanos da agência noticiosa congolesa ACP.