35,99 €
Versandkostenfrei*
inkl. MwSt.
Versandfertig in 6-10 Tagen
18 °P sammeln
  • Broschiertes Buch

O presente livro apresentar pesquisa sobre como o uso das novas tecnologias pode engendrar a renovação das práticas judiciais e uma gestão democrática do Sistema de Justiça. A análise parte da Reforma do Sistema de Justiça, tendo como marco a Emenda Constitucional (EC) 45/2004 e a criação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), órgão que se caracterizou como um ponto de mutação no sistema judicial e mudou o âmbito de atuação e estrutura do Judiciário, avaliando a principal política pública empreendida pelo CNJ: a virtualização do Judiciário. A importância da presente pesquisa se funda na…mehr

Produktbeschreibung
O presente livro apresentar pesquisa sobre como o uso das novas tecnologias pode engendrar a renovação das práticas judiciais e uma gestão democrática do Sistema de Justiça. A análise parte da Reforma do Sistema de Justiça, tendo como marco a Emenda Constitucional (EC) 45/2004 e a criação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), órgão que se caracterizou como um ponto de mutação no sistema judicial e mudou o âmbito de atuação e estrutura do Judiciário, avaliando a principal política pública empreendida pelo CNJ: a virtualização do Judiciário. A importância da presente pesquisa se funda na reflexão do papel da magistratura e em suas mudanças tecnológicas a partir da necessidade de novos conceitos, princípios e de um novo fazer jurídico pelo uso de plataformas de mapas colaborativos como estrutura para elaboração de políticas públicas e apoio à decisão. O trabalho utiliza metodologias quantitativas e qualitativas que buscam aferir e mensurar as políticas públicas da governança virtual, com questionários estruturados, fechados e questionários semi estruturados.
Autorenporträt
Professora da Universidade Federal do Ceará na Faculdade de Direito e na Faculdade de Arquitetura, nas disciplinas de Direito Ambiental e Direito Urbanístico. Doutora pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Desenvolve pesquisa na área de Ciberdemocracia, meio ambiente e Direito à Cidade. Integra o grupo GEDEL.